quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Paraisópolis realiza o 1º Campeonato Municipal de Futsal



Paraisópolis se destaca por estar no calendário de várias competições de futsal da região. Campeonatos de grande destaque como Copa Minas/ São Paulo e Copa EPTV Sul de Minas. Apesar desta tradição, nunca realizou um campeonato rigidamente municipal, sempre que ocorriam campeonatos times de cidades vizinhas se inscreviam. Por este motivo aconteceu nos dias 19 a 30 de outubro o primeiro campeonato municipal.


A competição contou com oito times, divididos em duas chaves, com jogos realizados nas segundas, quartas e sextas-feiras da segunda quinzena do mês de outubro. No último dia de jogos foi realizado um jogo amistoso feminino, PFC (Paçoca Futebol Clube), de Paraisópolis contra Real Califórnia, de Campos do Jordão. A equipe de Campos derrotou o PFC por 4 a 1.


A disputa de primeiro lugar do campeonato foi entre Casa Paraíso e Mercadinho VINI, onde Casa Paraíso consagrou se campeã por um placar de 8 a 3. Foram premiados também o melhor goleiro, artilheiro e jogador. Os destaques da competição foram selecionados por uma votação, para formarem a seleção da cidade, a listagem ainda não foi divulgada pela comissão.


Nádia Braga Faria, professora de educação física, participou como organizadora do evento juntamente com o coordenador de esporte Noedy e o professor de educação física Márcio Roveda. Ela disse que “A importância de ter um campeonato municipal na cidade é a revelação de novos talentos, pois estes nem sempre tem a oportunidade de mostrar o seu futebol”.
Disse ainda que as pretensões será de tornar o evento anual e para o ano que vem já está programado sua realização no primeiro semestre.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Operação conjunta das policias apreende drogas e armas


No dia 11 de novembro a Polícia Militar e a Polícia Civil realizaram operação conjunta no bairro Frei Orestes, apreendendo grande quantia em dinheiro, drogas, celulares e munição. A operação foi realizada no período da tarde. De acordo com a assessoria da Polícia Militar foram presos uma mulher de 35 anos e um rapaz de 31.


Na residência do casal preso foi encontrado dentro de um travesseiro a quantia de 320 pedras similares ao crack. No interior da casa foi encontrado R$ 687,10 reais (seiscentos e oitenta e sete reais e dez centavos), um cartucho de revolver calibre .32, dois aparelhos celulares da marca motorola com chips e baterias.


No dia anterior a PM abordou dois rapazes que estavam sentados na escadaria que dá acesso à Avenida João XIII, local conhecido pelos moradores como “escadão”, no bairro Frei Orestes. Com a chegada da viatura um dos rapazes jogou um revólver no mato e saiu correndo, logo foi abordado e juntamente com seu colega foram levados presos para delegacia local. A arma do calibre .32 estava com as munições completas.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Está acabando! Chora JN Org.


Missão utópica é a de descrever pessoas especiais em poucas palavras. Além de ser uma tarefa delicada, pois personificar entes queridos pode padecer em ausência de detalhes significantes conquistados durante a construção de suas histórias de vida. Como não podemos ficar parados sem tentar, vamos começar. Destacamos de inicio que esta equipe a primeira turma do site ângulo da Notícia. Como na pré-escola, será por ordem de tamanho.

Unindo coração e a inteligência torna-se uma gigante, claro que estamos falando da Iara Siqueira. Esta pessoa sempre chega de maneira simples e atrapalhada, mas com um jeitinho que conquista alunos e professores, ta difícil? É a Quézia Nogueira. Vou dificultar um pouco, ele nasceu com um dom de intelectualidade e com uma paciência absurda, quem será? É o nosso colega Jonas Costa. Radical nas atitudes e ligado na tecnologia, ficou muito fácil, é o Dimitri Leone. Criativo e mimado por todos da sala, fácil demais, Rafael Almeida. Chegou no meio do caminho e conquistou todos com seu jeito meigo, facilitei nesta! Izabela Ócariz. Desde que entrou na faculdade cresceu tanto fisicamente, como profissionalmente, adivinha? Pedro Henrique. Com um grande sorriso e esforçada no que se propõe a fazer, é a Ana Elisa. Com um teor nas veias de jornalismo investigativo, desculpa, este ficou fácil demais, Rafael Lelis. Como seria injusto e absurdo falar de mim com adjetivos, sou Éverton de Assis mais um integrante desta maravilhosa sala.

sábado, 31 de outubro de 2009

“Éramos anões em terra de gigantes”


Missão instigante é a de escrever um editorial, mesmo quando chegamos ao sexto período do curso de Jornalismo. Vamos lá! Sempre temos que destacar qual foi a primeira reação quando chegamos ao centro acadêmico: MEDO. Logo que nos acomodamos na sala, a sensação foi desaparecendo com as primeiras conversas. Não demorou muito para que o entrosamento entre os colegas fosse mágico, em poucos dias já pareciam amigos de infância.

Brincadeiras inimagináveis se iniciaram, panelinhas se formaram, mas logo as discussões ajudaram para a melhora do ambiente. Desistências surgiram com pequenas e grandes perdas. O espaço era considerado por muitos um sanatório, o destaque sempre foi a união, logo fomos metralhados por integrantes anônimos das outras turmas, onde nos nomearam como sendo as últimas bolachas do pacote. Com maestria soubemos responder à altura e logo este título foi quebrado.

O medo do início aparece novamente na metade do caminho, mas o medo agora é da perda e do incerto. Mais de dois anos e meio juntos mostram o valor que adquirimos nas pessoas com quem convivemos. Hoje podemos dizer que somos não apenas uma sala, somos uma equipe, uma redação. Conseguimos mudar muito, mudamos paradigmas que por muitos era impossível, solicitamos eventos que já haviam se perdido no descrédito, como a Semana do Jornalismo, participamos das reformulações dos laboratórios para a tecnologia digital.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Seminário arquidiocesano de portas abertas há 110 anos


No dia 08 de setembro deste ano o Seminário Arquidiocesano de Pouso Alegre completou 110 anos. Sua criação está marcada juntamente com o Colégio São José, qual era de sua propriedade no início. Hoje o Seminário conta com um centro de educação superior a FACAPA (Faculdade Católica de Pouso Alegre) e a Rádio Difusora.

O seminário conta com o Memorial “Monsenhor Aristeu Lopes”, o acervo interno conta com peças das mais curiosas e importantes como as relíquias da carne e da roupa de São Pio X, que foi papa durante o período de 1903 a 1914 e um Missal Romano datado de 1853, que pertenceu ao Monsenhor Antônio Dutra.

O complexo no momento atende 39 seminaristas e já formou mais de 280 padres e vários outros que não quiseram seguir a vocação sarcedotal, dentre estes destacam o atual prefeito de Pouso Alegre Agnaldo Perugini, o atual prefeito de Piranguinho Adoniram Martins Barbosa.

Em entrevista, o Cônego Mauro Morais, 55, diretor do seminário, contou à equipe que dois padres formados pelo Seminário tiveram seus processos de beatificação e canonização abertos, Padre Donizetti que serviu em Tambaú/ SP e Monsenhor Alderígi, atuou na Arquidiocese de Pouso Alegre, estando seus restos mortais na cidade de Santa Rita de Caldas.

Para Edvaldo Ribeiro de Souza, 25, seminarista, a importância do Seminário consiste em ajudar na construção do discernimento vocacional. O seminarista também é curador do memorial interno e também um dos editores do jornal “O Levita” com circulação semestral desde 1902, com suas primeiras edições estão arquivadas no museu.

José Geraldo de Cássio Teixeira, 34, professor e atualmente diretor da E. E. “Antônio Eufrásio de Toledo”, que estudou no local por nove anos. Cássio disse para a nossa equipe que “Muitos valores que percebo em mim foram cultivados no período em que passei pelo seminário. Foi uma escolha “certa” que repercute hoje em minha forma de ser e de ver o mundo”.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Instabilidade de sinal da Claro irrita clientes

Segundo pesquisa recente feita pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), o Brasil tem cerca de 160 milhões de celulares. A Claro é hoje a segunda maior operadora de telefonia celular do país, com, aproximadamente, 25% do mercado nacional, sendo, em Paraisópolis, uma das líderes de mercado. No entanto, nesta cidade e nas cidades vizinhas, as reclamações por sinal baixo e perda do mesmo têm sido frequentes. Em contato com usuários, alguns relataram a frustração com a empresa e a pretensão de mudar de operadora.

Adalberto Gilvan Fernandes Pereira, 25, estudante universitário, contou à nossa equipe que é cliente da empresa há mais de quatro anos. Ele relata que nesse período muitos problemas aconteceram, como a falta de sinal dentro de sua residência, localizada na área central da cidade. Adalberto disse ainda que a falta de sinal já lhe custou uma discussão com sua namorada. “Minha namorada me ligou e o celular dava caixa postal, mas eu estava em casa e dentro dela o celular quase não pega”, contou ele.

Já Marcos José das Neves, 27, operador de produção, é cliente há dois anos, mas por ficar algumas vezes sem sinal de comunicação, já comprou um celular de outra operadora. Ele conta que já recebeu, até mesmo, mensagem de aviso de que ele mesmo havia ligado para o seu número.

O técnico em eletrônica Antônio Luis Fraga Júnior, 31, que trabalha na região e reside em Cachoeira de Minas, comenta que em alguns momentos não consegue contato com sua esposa por causa da falta de sinal de seu celular. Disse ainda que, quando está ventando, as ligações ficam com ruídos e estalos estranhos. Fraga afirmou para nossa equipe que já pensa em trocar de operadora.

Ana Paula Cotta Doné, assessora de imprensa da empresa Claro de Minas Gerais, esclareceu para nossa reportagem que enviou técnicos para averiguar possíveis irregularidades. Segundo ela, “a equipe realizou uma vistoria completa e diversos testes, não tendo detectado qualquer ocorrência que justificasse os fatos relatados. A fim de identificar possíveis problemas pontuais ou intermitentes, desde então, a rede local vem sendo monitorada e, até o momento, não foram registradas falhas na rede da Claro na cidade”.

Escola Municipal “Bueno de Paiva” completa 99 anos

Do jeitinho mineiro! Assim foi a comemoração de mais um aniversário da Escola Municipal “Bueno de Paiva”. A data não foi esquecida pela direção e alunos. No último dia 20, várias atividades, como exposição de desenhos e frases feitas pelos próprios alunos, marcaram os 99 anos de criação da escola.

A escola está situada bem no coração da cidade de Paraisópolis, mas, sentimentalmente, também está na memória de muitos que ali estudaram. O prédio faz parte do acervo arquitetônico tombado pelo patrimônio histórico do município. A maioria dos atuais alunos teve pais, e até mesmo avós, que frequentaram aquelas tradicionais salas de aula. Hisley Daian de Aquino, 19, estudante, contou à nossa equipe que passou quatro anos estudando no Bueno de Paiva e foi lá que aprendeu a ler e a escrever.

“A escola Bueno de Paiva faz parte da minha história de vida. Quando optei em seguir a carreira do magistério, passei a desejar uma educação de qualidade”. Esse é o depoimento de Rosa Maria Faria Bernardes, 46, atualmente diretora da escola. Além deste cargo de direção, Rosinha, como é conhecida na escola, é professora das séries iniciais do ensino fundamental, lecionando no local há mais de 10 anos.

O nome do local é em homenagem a Francisco Álvaro Bueno de Paiva, oriundo de Andradas, mas que passou grande parte de sua vida na cidade de São José do Paraíso, hoje Paraisópolis, onde foi juiz, promotor e Presidente da Câmara. Seu destaque nacional foi quando chegou à vice-presidência do Brasil, em virtude do falecimento de Wenceslau Bráz, no governo de Epitácio Pessoa.

sábado, 12 de setembro de 2009

Parque Zoobotânico é a única opção de lazer ambiental em Pouso Alegre


Preservar não é a palavra mais praticada pela humanidade, mas os reflexos sentidos em relação ao desmatamento e a erosão estão fazendo o homem se preocupar com a natureza de uma forma antes nunca vista. Já a cidade de Pouso Alegre situada na região sul mineira, se mostra deficiente em relação a áreas verdes para o lazer de seus moradores. As única área destinada ao lazer da população está em uma região de difícil acesso e com falta de conservação.
O Parque Zoobotânico, com cerca de 396 hectares de malha verde, chamado pelos visitantes de horto da cidade, possue espaço para recreação, playground, mina de água mineral, aves e animais, está em fase de desativação por não ter estrutura necessária para hospedagem de animais de grande porte como os leões que vivem em pequenas jaulas. O Cristo Redentor, considerado um dos maiores do mundo, está localizado na serra Santo Antônio e é um dos cartões postais que literalmente abraçam a cidade, mas para chegar no local o visitante terá que se arriscar em uma estrada ruim ou em trilhas bem fechadas na mata.
Em contato com o Departamento de Meio Ambiente da prefeitura da cidade, onde o senhor Maurício Djalles Costa, Chefe de Seção de Manutenção e Administração de Unidades de Conservação, esclareceu algumas questões. Há um projeto de criação de um centro para visitantes no Parque Municipal, onde contempla um museu de historia natural, um anfiteatro, uma biblioteca sobre meio ambiente, uma ecoloja e uma praça de alimentação, além da revitalização do parque infantil e das outras estruturas já existentes no parque. Será somado também um projeto de educação e conscientização ambiental com a realização de oficinas, palestras e caminhadas ecológicas.
Maurício disse ainda que neste ano iniciará um projeto que fará o mapeamento dos locais da área urbana da cidade a serem arborizados juntamente com um estudo que determinará as espécies mais adequadas ao plantio na cidade e por fim mostrou que a prefeitura não tem parceria com nenhum órgão ligado à manutenção de áreas verdes e que a única área ambiental para visitação e passeios é somente o Parque Municipal de Pouso Alegre.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Quanto custa um político para o Brasil

É uma vergonha a matéria exibida pelo Bom dia Brasil, a vergonha não é a matéria e sim o valor que custa um político para o Brasil! Seu valor é o mais caro de todo o planeta. Segue o vídeo abaixo com o conteúdo exibido.

video

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Programa do Jô vetado pela Globo

Carlos Vereza um dos mais renomados atores do cenário atual, após ter explanado sua opinião sobre o teatro político brasileiro no programa do Jô Soares, a Globo por meio de seu caratér manipulador vetou a apresentação do programa, mesmo assim o vídeo vazou para a internet e está na íntegra aqui no blog.

video

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Homenagem do Globo Rural para a melhor jornalista de Paraisópolis


Você conhece o poema Mulher ao cair da tarde, de Adélia Prado, esta bela senhora de cabelos brancos abraçada à jornalista Suely Gonçalves, a Sula, na foto ao pé da página? Vamos recordá-lo: 'Ó Deus, não me castigue se falo/minha vida foi tão bonita!/Somos humanos,/nossos verbos têm tempos,/não são como o Vosso, eterno'. Suely foi falar com Ele em maio. Seu imenso e generoso coração falhou no dia 29, deixando-nos - uma multidão de admiradores, entre parentes, amigos e colegas de trabalho - para sempre órfãos.

Os leitores hão de lembrar de seu texto leve, impregnado de emoção e poesia, das histórias de vida que eternizou nas páginas da revista, de personagens inesquecíveis como Seu Cutuba (Falou fubá, falou Cutuba); Zé Bagunça, o caixeiro-viajante; Bernardino, 'o rei do pinhão', que andava por aí plantando pinhões; os tropeiros João, José, Joaquim e Mestre Ditinho ('O dia em que o tempo parou') e o inventor Guerzoni Lopes ('Na mosca, Maiakóvski'). Sula era paulistana de nascimento mas foi registrada em Paraisópolis, sul de Minas Gerais, onde o pai, português, era hoteleiro e queria, de toda forma, que a filha fosse mineira. Aos 17 anos, mudou-se para São Paulo, onde se formou jornalista. Por muitos anos, trabalhou em jornais e revistas da capital e de São José dos Campos. Então, num belo dia, voltou de vez a Paraisópolis e fundou a Folha da Serra, jornal combativo, que marcou época na região. Em 2002, passou a escrever para nós, a convite do fotógrafo Ernesto de Souza, com quem trabalhara no jornal Agora, em São José dos Campos.

'O forte de Suely era sua sensibilidade. Era uma fotógrafa de almas e as descrevia numa linguagem mais literária que jornalística', diz o jornalista Roberto Wagner de Almeida, ex-colega no Agora. 'Sula era especial', resume Márcia Maria de Souza, amiga e companheira de tantos anos. 'Tudo que dizem dela é o que ela foi até os curtos e bem vividos 60 anos: a alegria, a luminosidade, o viço, a disponibilidade para o outro e uma curiosidade inesgotável para a vida.' A frase ao pé da página é parte de sua inesperada carta de despedida, escrita às vésperas da cirurgia a que se submeteu em abril. Nesta mesma carta, escreveu: '... me reservo o direito de escolher meu epitáfio (a frase destacada acima, da escritora francesa Marguerite Yourcenar): 'Todo aquele que viveu a aventura humana sou eu'.

'Gostaria, meus queridos, que vocês se lembrassem de mim como uma pessoa que amou a vida e a recebeu com tudo o que ela carrega de bom e de ruim. Tirei dela o que me foi possível e sinto que não a desperdicei'

Suely Gonçalves

Legenda da foto: A jornalista Suely Gonçalves (à esq.) e a escritora Adélia Prado, não por acaso, amigas: comunhão no afeto e na exaltação da vida


Fonte: Revista Globo Rural


domingo, 16 de agosto de 2009

Dois quilos de cocaína são apreendidos com menor de 15 anos em Paraisópolis

A realidade de Paraisópolis não é nada diferente do mundo quando se fala em drogas. É uma forma de manifestação degradante ao organismo que se proliferou absurdamente nos últimos anos, trazendo dependência, roubos, violência e mortes. No primeiro dia do mês de agosto por volta das nove e meia da noite, a Polícia Militar realizou uma busca nas bagagens de alguns passageiros do ônibus da empresa Pássaro Marrom encontrando dois tijolos de uma substância semelhante à cocaína.

O material estava com o menor A.G.M.A. de 15 anos, a quantidade é de aproximadamente dois quilos de cocaína, o menor estava vindo do estado de São Paulo e foi surpreendido no posto de Fiscalização Fazendária de Minas Gerais. O mesmo alegou que estava transportando a droga até a rodoviária de Paraisópolis em troca de R$500,00 (quinhentos reais).

O menor foi apreendido e levado a Delegacia de Polícia Civil da cidade, onde foi interrogado, juntamente acompanhado pela Conselheira Tutelar Eliane, autuado em flagrante e posteriormente o juiz concedeu o alvará de soltura para o menor responder o procedimento legal em liberdade. A suposta droga foi encaminhada a perícia para análise.

domingo, 2 de agosto de 2009

Elogios marcam a 11ª OPIS


“A melhor Opis de todos os tempos”, foi assim que Lucas Lopes Vieira, 25, mestrando da Unifei em Itajubá, descreveu a festa que terminou no último dia 26 de julho, a OPIS (Olimpíada de Paraisópolis de Inverno e Solidariedade). Como já de costume, o fechamento da festa ficou por conta do tradicional pagode, que acompanhou o tradicional almoço nas barracas. Milhares de pessoas prestigiaram o decorrer das atividades promovidas pelo evento. No dia 23, quinta, nem mesmo a chuva conseguiu tirar a motivação das pessoas que participaram do desfile de abertura pelas principais ruas da cidade. No sábado, 25, o show de Gian & Giovane reuniu cerca de dez mil pessoas na praça central da cidade.

A remodelagem da festividade agradou a grande maioria da população e também visitantes. Em relação demonstrada na comunidade Paraisópolis/MG do site de relacionamento Orkut. O único ponto negativo mencionado por quase todos que postaram neste tópico foi à falta de informação das datas e horários dos jogos, alguns ficaram sabendo dos jogos só depois de disputados, destacando também que o evento parecia começar apenas apartir do dia 23 de julho.

Comentários positivos focaram o acréscimo de uma semana para o evento esportivo, em contrapartida foi questionado pelos entrevistados, Julia Maria Costa Silva Pinto, 21, universitária em Jaguariúna e Romualdo José dos Santos, 26, professor nesta cidade, que o evento proporcionou emocionantes jogos com ótimas apresentações dos atletas, mas relembra que a maioria dos esportes disputados na Opis não tem incentivo na cidade. Júlia diz: “Achei ótima a idéia de colocar duas semanas de OPIS e mais modalidades. Porém acho que a cidade devia se empenhar mais no incentivo a prática dos esportes” [sic].

Romualdo ressalta ainda que a importância de incentivar os esportes apenas na Opis não leva o atleta do evento dar continuidade à prática, “é como a natureza nos mostra, não basta plantar a semente é necessário cuidar para que ela possa vingar e dar bons frutos” [sic]. Já para Lucas o que faltou na festa foi o tradicional quadro Caça Talentos, que buscava mostrar os talentos da cidade para os visitantes.

O desfile uniu e reuniu os voluntários e participantes de todas as equipes em um clima de harmonia e espírito solidário, o destaque ficou para o pequeno Joaquim, três anos e meio, que mesmo com a ameaça da chuva não desanimou e desfilou na ala dos esportistas chutando sua bola entusiasmando o público que o assistia. Mais uma vez a Opis conseguiu cumprir seu lema batendo um recorde de solidariedade e consagrando como festa do calendário da região sul mineira.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Solidariedade em alta nas férias em Paraisópolis

Com a chegada das férias escolares, um clima de solidariedade desperta em Paraisópolis numa intensidade estrondosa, onde pessoas se voluntariam, na intenção de apoiar de alguma forma as entidades que valorizam e ajudam os mais necessitados. OPIS (Olimpíada Paraisopolense de Inverno e Solidariedade), que está em sua décima primeira edição. O evento tem como tema “vamos bater um recorde em solidariedade”. Conta com quatro equipes: Casa da Criança, Apae, Asilo e Hospital Frei Caetano.

A parte esportiva sofreu mudanças, este ano terá um novo local que será no poliesportivo “Professor Helcias Rocha”, com novas modalidades como tênis, na quadra da fábrica Delphi, corrida de 10 km, como fechamento das atividades esportivas e a volta de algumas categorias como o futvôlei e handebol. A duração dos jogos aumentará para duas semanas, começando no dia 13 de julho. Na primeira semana os jogos serão na quadra normal e na segunda semana na quadra de areia montada no interior do poliesportivo.

O atleta Carlos Augusto de Lima Machado, 17anos, estudante, já participa a quatro anos da Opis e destaca que jogando para uma equipe, acaba ajudando todas de certa forma. Ressalta ainda que o evento ajuda no movimento da cidade com entretenimento, arrecadação de dinheiro para as entidades filantrópicas e lucro para os comerciantes locais.


A festa começará oficialmente no dia 23 de julho com a tradicional passeata das equipes representadas por cores distintas, o amarelo com a Casa da Criança, o vermelho com a Apae, o verde com o Asilo e a cor azul com o Hospital. As equipes se dispõem em barracas com comidas típicas que acompanham os shows em todas as noites. Este ano a Opis terá um grande show gratuito, da dupla sertaneja Gian e Giovane, no dia 25 de julho.


O símbolo da Opis sofreu uma mudança e segundo a comissão organizadora, nos próximos anos ocorrerá um concurso estudantil, em que os alunos do município criarão por meio de critérios estabelecidos uma nova logomarca para que ocorra sempre uma nova variação nos próximos anos do evento.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

OPIS terá quadra de areia em novo local


Com a chegada do mês de julho Paraisópolis se modifica. Um espírito de solidariedade sobrevoa a cidade de uma forma mais intensa, pessoas se voluntariam para o acontecimento de uma das maiores manifestações de apoio às instituições filantrópicas da região sul mineira, a OPIS (Olimpíada Paraisopolense de Inverno e Solidariedade), que este ano completa sua décima primeira edição. Com o lema “vamos bater um recorde de solidariedade”, a festa já entrou para a história do município e é apontada como um dos eventos mais tradicionais da cidade. Desde a sua criação a OPIS conta com a presença de vários visitantes, além de antigos moradores que retornam à cidade natal aproveitando o período de férias escolares.

O início da festa acontece no próximo dia 23 de julho, com o tradicional desfile das Instituições e suas equipes pelas principais ruas da cidade, com queima de fogos e apresentações de bandas locais. Nos outros dias vários shows prometem animar o público, e o show mais esperado é o da dupla sertaneja Gian & Giovane.

Já a parte esportiva sofreu alterações. Durante duas semanas, de 13 a 26 de julho, as equipes se enfrentam no poliesportivo “Professor Helcias Rocha”, inclusive os esportes praticados em quadra de areia, que em edições passadas aconteciam em frente à Praça da Matriz. Outro diferencial é que este ano a parte “olímpica” conta com novas categorias, a volta de algumas modalidades, como Handebol e novidades como a Corrida de 10 km que acontece no último dia do evento.

A professora de educação física e integrante da organização esportiva da OPIS, Nádia Braga Faria, 28 anos, comemora a volta do Handebol e do Futvôlei. Para ela a inclusão de esportes como tênis e a corrida de 10 km. Nádia afirma que com as mudanças a com o apoio financeiro da comissão organizadora, o esporte só tem a ganhar, uma vez que ele (o esporte) é o foco principal do evento. Conta ainda que as características da OPIS são semelhantes às festas tradicionais da região, como a festa do Polvilho em Conceição dos Ouros e da Fogueira em Cachoeira de Minas, mas que o esporte sempre foi o grande diferencial da festa que aconteceem Paraisópolis. Questionada sobre a mudança da quadra de areia para dentro do poliesportivo, Nádia diz que não acha nem certo nem errado.

Já a comissão organizadora, parte festiva da OPIS, esclarece que foi preciso levar a quadra de areia para o poliesportivo por questão de espaço e até de segurança. “Como esperamos receber um público muito maior que nas edições passadas, em conseqüência dos shows, vimos que precisaríamos de mais espaço físico. O motivo da alteração de local também está relacionado com a segurança do público, e até mesmo com a higiene. Se ventar a areia pode chegar até a comida, servida pelas barracas, e isso também queremos evitar.

A festa da OPIS acontece de 23 a 26 de julho, de quinta a domingo, e as barracas com comidas típicas permanecem em frente à Praça da igreja Matriz. O trabalho desempalhado pelos organizadores, ajudantes e participantes da OPIS é voluntário. O dinheiro arrecadado é destinado às Instituições participantes: Casa da Criança, Asilo, APAE e Hospital Frei Caetano.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Portifólio

Este projeto é um mecanismo de arquivar trabalhos feitos para vários meios de mídia.